Foto
julho 21

O que é Marketing de Performance? 

Marketing de performance é uma estratégia de gestão de negócios que objetiva a obtenção do melhor desempenho possível em campanhas de geração de vendas on-line, de obtenção de leads para a área de vendas ou de obtenção de engajamento com um determinado público alvo.

Na maior parte das vezes o marketing de performance se utiliza de mídias digitais para geração de tráfego em sites de comércio eletrônico, em sites que incentivam o contato do cliente a equipe comercial, ou ações de engajamento como download de aplicativos, leitura de conteúdo, visualização de vídeos e assim por diante.

Uma das premissas do marketing de performance é estabelecer quais indicadores de performance serão utilizados para medir o resultado e o desempenho das ações de marketing.

Existem basicamente dos tipos de indicadores de performance, os indicadores de auditoria de resultados e os de análise de desempenho.

Os indicadores de auditoria são métricas não calculadas como o volume de vendas, a quantidade de leads, ou a quantidade de downloads, que serão usados para compara-los com uma determinada meta estabelecida para cada indicador.

Os indicadores de desempenho são métricas calculadas como o retorno sobre o investimento em mídia (ROAS), taxa de conversão, coeficiente de aprovação, custo por lead, etc, que são usados para comparar seu desempenho entre mídias, entre campanhas, entre diferentes meses, horários, dias da semana, para identificar onde ocorreram os melhores e piores resultados.

A gestão de marketing de performance requer a utilização de plataformas de métricas como o Google Analytics, o Add Intelligence, entre outras; para contabilizar as métricas e permitir a análise de resultados e de desempenho.

O marketing de performance é uma estratégia que visa a melhoria incremental dos resultados dos esforços de marketing de forma a alcançar os objetivos dos negócios on-line.

Foto
julho 21

Lifetime value (LTV) no e-commerce 

Lifetime value (LTV) é uma métrica estabelece o potencial receita gerado por um grupo de cliente ao longo de um determinado período através de compras recorrentes.

Está é uma métrica fundamental para a análise de retorno de investimento em mídia, pois medir o desempenho das campanhas com base apenas no valor gasto para gerar o primeiro pedido de um cliente pode levar o anunciante a avaliar de forma incorreta o benefício do investimento.

O Lifetime Valeu permite mensurar, através do valor e a quantidade de recorrências de compras, o valor dos clientes, ou grupo de clientes, como clientes conquistados por mídia, por campanha, etc.

Ao analisar o retorno de investimento em mídia é preciso levar em consideração o valor gasto na mídia, o volume de vendas ocorridas imediatamente e o Lifetime Value esperado para um determinado período de tempo tendo como base o LTV histórico.

Desta forma você e seus superiores terão uma visão mais realista dos reais benefícios de investimento em mídia.

A plataforma de métricas Add Intelligence oferce diversão visões de Life Time Value, considerando a freqüência media de compra, o volume de compras e a recência de compras por mídia, por campanha e por diferentes períodos de tempo, assim é possível mensurar claramente o retorno sobre o investimento em mídia.

Quando o Lifetime Value passa a ser uma métrica tão importante quanto o retorno imediato sobre investimento em mídia, os gestores de e-commerce passam a implementar campanhas para sua base de clientes com o objetivo de aumentar o LTV.

Para isso é fundamental implementar diversas campanhas customizadas para os desejos e necessidades de cada grupo de clientes, como por exemplo:

- campanha para clientes que compraram algum produto, oferecendo outro, que tem tudo a ver com o que eles já compraram.

- campanha específica para novos clientes com incentivo para a próxima compra.

- campanha com cupom de desconto para clientes que não compram há mais de 120 dias.

- campanha oferecendo um cupom de desconto para os aniversariantes da semana.

Para automatizar as campanhas como estes e muitas outras através do Facebook, Instagram, e-mail marketing, You Tube, Gamil, Google e push alert, você pode utilizar a plataforma de digital CRM Ativem.

Portanto, quando você começar a media o LTV, certamente verá mais valor nos investimentos em mídia, investirá mais em mídia para adquirir novos clientes e irá intensificar as campanhas promocionais para sua base de clientes visando ampliar o LTV de sua operação.

Foto
março 21

O CUSTO ESQUECIDO DO BOLETO BANCÁRIO

Gestores de lojas virtuais sempre se preocupam em oferecer diversos meios de pagamento aos seus clientes, afinal, quanto maior o número de opções, maior a probabilidade de concretização de uma compra.
Cartões de crédito, facilitadores de pagamento (como Paypal e PagSeguro), boleto bancário – todas são opções ofertadas, com diferentes custos para as lojas virtuais. Agora, com o fim do boleto bancário sem registro, muita gente anda refazendo contas para saber qual será o custo real de um boleto, a fim de compará-lo com outros meios de pagamento e ajustar suas ofertas.
Enquanto cartões de crédito e facilitadores de pagamento cobram um percentual do valor da transação para efetivar uma compra, o boleto bancário é normalmente cobrado por transação, independente do valor da operação.
Dividindo o custo médio do boleto pelo ticket médio das vendas por boleto, teremos o custo médio, em percentual, da venda através dessa opção de pagamento.
Com isso, teoricamente, teríamos o custo da transação e poderíamos compará-la com o custo médio de outros meios de pagamento para decidir se devemos incentivar uma ou outra modalidade, ou até mesmo eliminar alguma delas.
Mas existem alguns outros pontos, que nem sempre são lembrados, e que devemos que levar em conta na hora da análise.
O primeiro é a taxa de pagamento efetivo dos boletos. Pela experiência que temos aqui na empresa, apenas 50% do boletos emitidos são pagos. Ou seja, se sua empresa paga por boleto emitido, seu custo será o dobro do imaginado.
Outro ponto é o custo de mídia. Quando investimos em publicidade para trazer um cliente, esse custo também deve ser considerado nas nossas análises, afinal, ele faz parte do custo da transação. Somente para comparação, transações com cartão de crédito têm taxa de aprovação (ou seja, o dinheiro que realmente entra no caixa da empresa) próximas a 80%, dependendo do cartão e do valor da transação, entre outros fatores.
Suponha a seguinte situação: gastamos R$ 4.000,00 em mídia para obtermos 100 pedidos: 50 deles com pagamento em boleto e os outros 50 com pagamento via cartão de crédito. Olhando para o caixa da empresa, que é o que realmente interessa, veremos 25 pedidos pagos via com boleto (50%) e outros 40 pagos via cartão de crédito (80%).
É fácil ver que o custo de mídia de cada pedido por boleto efetivamente pago é maior: R$ 80,00 (R$ 2.000 ÷ 25) contra R$ 50,00 para cada pedido efetivamente pago com cartão de crédito (R$ 2.000 ÷ 40).
Ou seja, o custo da transação com boleto pode superar, em muito, o simples custo da emissão do mesmo.
Esses números que utilizei são médias históricas que temos aqui na empresa, mas cada caso pode ter valores diferentes e precisa ser analisado com base no histórico de seu negócio.
Falando especificamente da taxa de aprovação de cartão de crédito e da taxa de pagamento de boletos bancários, existem ferramentas especialistas que fazem essa análise de forma fácil, informando, inclusive, o custo da mídia para cada caso, mas a estratégia é sempre escolha do gestor.
Afinal, não dá para abrir mão do pagamento via boleto. A bancarização no Brasil ainda é baixa e muitos não tem acesso a um cartão de crédito. O que precisamos é saber os custos reais para gerir e tomar as decisões corretas.