Foto
março 21

O CUSTO ESQUECIDO DO BOLETO BANCÁRIO

Gestores de lojas virtuais sempre se preocupam em oferecer diversos meios de pagamento aos seus clientes, afinal, quanto maior o número de opções, maior a probabilidade de concretização de uma compra.
Cartões de crédito, facilitadores de pagamento (como Paypal e PagSeguro), boleto bancário – todas são opções ofertadas, com diferentes custos para as lojas virtuais. Agora, com o fim do boleto bancário sem registro, muita gente anda refazendo contas para saber qual será o custo real de um boleto, a fim de compará-lo com outros meios de pagamento e ajustar suas ofertas.
Enquanto cartões de crédito e facilitadores de pagamento cobram um percentual do valor da transação para efetivar uma compra, o boleto bancário é normalmente cobrado por transação, independente do valor da operação.
Dividindo o custo médio do boleto pelo ticket médio das vendas por boleto, teremos o custo médio, em percentual, da venda através dessa opção de pagamento.
Com isso, teoricamente, teríamos o custo da transação e poderíamos compará-la com o custo médio de outros meios de pagamento para decidir se devemos incentivar uma ou outra modalidade, ou até mesmo eliminar alguma delas.
Mas existem alguns outros pontos, que nem sempre são lembrados, e que devemos que levar em conta na hora da análise.
O primeiro é a taxa de pagamento efetivo dos boletos. Pela experiência que temos aqui na empresa, apenas 50% do boletos emitidos são pagos. Ou seja, se sua empresa paga por boleto emitido, seu custo será o dobro do imaginado.
Outro ponto é o custo de mídia. Quando investimos em publicidade para trazer um cliente, esse custo também deve ser considerado nas nossas análises, afinal, ele faz parte do custo da transação. Somente para comparação, transações com cartão de crédito têm taxa de aprovação (ou seja, o dinheiro que realmente entra no caixa da empresa) próximas a 80%, dependendo do cartão e do valor da transação, entre outros fatores.
Suponha a seguinte situação: gastamos R$ 4.000,00 em mídia para obtermos 100 pedidos: 50 deles com pagamento em boleto e os outros 50 com pagamento via cartão de crédito. Olhando para o caixa da empresa, que é o que realmente interessa, veremos 25 pedidos pagos via com boleto (50%) e outros 40 pagos via cartão de crédito (80%).
É fácil ver que o custo de mídia de cada pedido por boleto efetivamente pago é maior: R$ 80,00 (R$ 2.000 ÷ 25) contra R$ 50,00 para cada pedido efetivamente pago com cartão de crédito (R$ 2.000 ÷ 40).
Ou seja, o custo da transação com boleto pode superar, em muito, o simples custo da emissão do mesmo.
Esses números que utilizei são médias históricas que temos aqui na empresa, mas cada caso pode ter valores diferentes e precisa ser analisado com base no histórico de seu negócio.
Falando especificamente da taxa de aprovação de cartão de crédito e da taxa de pagamento de boletos bancários, existem ferramentas especialistas que fazem essa análise de forma fácil, informando, inclusive, o custo da mídia para cada caso, mas a estratégia é sempre escolha do gestor.
Afinal, não dá para abrir mão do pagamento via boleto. A bancarização no Brasil ainda é baixa e muitos não tem acesso a um cartão de crédito. O que precisamos é saber os custos reais para gerir e tomar as decisões corretas.